Notícias Astral

Um Hóspede Indesejado – Carrapato

Os carrapatos são artrópodes ectoparasitas, o grupo mais numeroso dos aracnídeos, com cerca 550 famílias e mais de 48.000 espécies descritas, com uma grande parte de espécies ainda não descritas, e estão presentes há mais de 300 milhões de anos na Terra.

São capazes de parasitar vertebrados terrestres, anfíbios, répteis, aves e mamíferos, incluindo o homem. Podem permanecer fixados à pele do hospedeiro por dias ou semanas, secretando uma saliva que impede a coagulação sanguínea e as reações de defesa do organismo no local de fixação. A saliva possui substâncias vasoativas, que induzem a vasodilatação local, além de enzimas digestivas. Este processo é necessário para a alimentação do carrapato, uma vez que sua digestão é extracorpórea, ocorrendo parcialmente no interior do corpo do hospedeiro. O substrato forma um “caldo” que é sugado e prossegue para o interior do trato digestivo, onde ocorre a segunda etapa da digestão. Este tipo de alimentação ocorre do mesmo modo em outros aracnídeos, como escorpiões, pseudoescorpiões, aranhas, ácaros, entre outros, que se diferenciam dos espécimes da Classe Insecta pela ausência de antenas, mandíbula e asas, e pela presença de um 4° par de pernas quando adultos, em sua maioria.

 

Controle:

O carrapato não é um problema só do animal, mas sim do ambiente. Em todos os seus estágios de vida, ele é muito resistente. Assim, combater o carrapato é difícil e depende de uma estratégia eficaz que leve em consideração seus aspectos biológicos e as condições do local infestado.

Os ovos e larvas, estão no ambiente e nele sobrevivem durante muitos meses. As fêmeas podem colocar seus ovos na vegetação (principal fonte de dispersão) e também em frestas nas paredes e piso. Dessa forma, muitos são os casos de proprietários que vivem combatendo o carrapato no animal, mas nunca conseguem controla-la adequadamente.

O manejo do carrapato se torna mais eficaz ao incluir aplicações regulares de ectoparasiticidas nos animais, poda da vegetação, limpeza do ambiente, retirada de entulho e materiais inservíveis, tendo no controle químico um aliado bastante eficiente, através de aplicações de produtos carrapaticidas no ambiente, que pode variar de acordo com a inspeção técnica para o levantamento de informações como a identificação da espécie, nível de infestação, condições de higiene e acesso, entre outros fatores que influenciam diretamente na manutenção da qualidade de vida de todos que convivem no local e na saúde ambiental da população em geral.

 

Link Amblyomma cajennense: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/9/9f/Amblyomma_cajennense.tif/lossy-page1-1920px-Amblyomma_cajennense.tif.jpg

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram